Rio+20: o desenvolvimento e liberalismo fortalecidos.

Comunicado N º 35 da União Popular Anarquista – UNIPA

A realização da Rio+20 pode ser considerada como uma vitória do Estado, da burguesia e do Imperialismo. Além disso, demonstrou o extremo sucesso da repressão do Estado e da tutela militar. Por outro lado ficaram ainda mais evidentes a total falta de resistência dos supostos setores de oposição (PSOL, PSTU) ao projeto desenvolvimentista e à repressão. A resistência ficou restrita a algumas ações isoladas do movimento camponês e indígena. Ficou explícito o que afirmamos: 1) o legalismo nas ações de massa de militantes dos partidos institucionais (PT, PCdoB, PSOL, PCB, PSTU) e 2) a tutela militar com todo seu aparato repressivo mobilizado. Dito isso o PT, a burguesia (principalmente agrária) e os militares saem fortalecidos da Rio+20 com seu projeto liberal-desenvolvimentista.

Carnavalização na Cúpula dos Povos.

O ato da Cúpula dos Povos no dia 20 de junho foi a total demonstração do legalismo das forças de esquerda. O desfile carnavalesco pela Avenida Rio Branco em direção a Cinelândia terminou com uma eficiente dispersão, como na Praça da Apoteose, comandada pela Polícia Militar. Cada Central Sindical e grupo político ficou com seu bloco e assim cumpriu seu papel, reproduzindo a fragmentação orgânica dentro de um ato supostamente unificado. As direções das centrais e dos partidos políticos dirigiram o ato dentro de restritos limites imposto pelo exército e pela polícia. Não houve objetivo na manifestação e com isso não se combateu a criminalização dos movimentos sociais e as reformas, como o Código Florestal, que ampliará os ganhos do capital.

O ato da Vila Autódromo (na Zona Oeste da cidade) que teria um objetivo mais claro e contundente, por marcar uma contraposição a Rio+20, foi deliberadamente esvaziado. E quando consideramos esta situação de forma global podemos perceber como se esvaziou um ato de confronto e se promoveu um desfile “semicarnavelesco” em uma área completamente esvaziada e sobre a tutela militar. O desfile da Cúpula dos Povos mostrou toda a subserviência das forças de esquerda ao Estado, não sendo capaz de organizar um ato de enfrentamento, com ação direta e objetivos claros. Mesmo com 20 mil pessoas segundo a mídia e 80 mil segundo organizadores, as forças paragovernistas se mantiveram dentro da restrição imposta pela polícia e pelo exército. Assim, o argumento utilizado em passeatas locais de que o número reduzido de pessoas impossibilitava ações mais contundentes não passa de mera fraseologia e desculpa para incapacidade de promovê-las.

Agora fica cada vez mais evidente o papel nefasto que a esquerda governista e paragovernista têm cumprido no movimento popular, sindical e estudantil.

Manutenção do modelo agrícola e repressão.

Como afirmamos, “a questão ambiental está hoje na realidade ligada diretamente a questão agrária, e logo, à da revolução.” O PT optou pela aliança com o agronegócio e deste ponto de vista a questão agrária esta resolvida, ou seja, não se muda nada no atual modelo agrícola brasileiro.

Assim, ficou evidente que o setor governista (PT/PCdoB) que controla a CUT, a CTB, a CONTAG e o MST sabotou a luta do movimento indígena e camponês em nome do projeto desenvolvimentista. Esse projeto implica o apoio à indústria e concessões ao operariado industrial, como no ABC paulista, principal base do PT, e por isso se reflete no sacrifício dos interesses dos camponeses, quilombolas e indígenas. A sabotagem dos atos de enfrentamento e do combate efetivo ao código florestal apenas ilustram essa conciliação de classe.

Podemos afirmar categoricamente que a burguesia, o Estado e o governismo foram os vencedores da Rio+20. Em nenhum momento o governo e a classe dominante se sentiram pressionadas a mudar as orientações agrário-ambientais (desenvolvimentista) e penais/policiais (liberais). Em nenhum momento a tutela militar foi questionada, muito pelo contrário. O desfile cívico ocorria pela Rio Branco enquanto os pelotões de fuzileiros cercavam o perímetro do ato, da mesma maneira que pela manhã tropas de choque e atiradores de elites apontavam suas armas para o ato da Vila Autódromo.

Os acontecimentos da Rio+20 mostram como mesmo sobre o desenvolvimentismo avança o Estado penal e policial, típico do Neoliberalismo. O Controle social tem significado cada vez mais a tutela militar que determina os limites, cada vez mais restritos, da atuação dos movimentos sociais. No caso brasileiro, em particular, a saída consentida da Ditadura Civil-Militar para a Democracia Burguesa sempre foi tutelada pela ação do exército. Foi assim na Greve dos Operários das CSN, em 1988, na Eco 92, na Greve dos Petroleiros de 1995, na Marcha dos 500 anos, em 2000, e agora na Rio+20.

Como afirmamos, as tarefas dos revolucionários e dos militantes classistas em geral permanecem basicamente duas: “1) as tarefas políticas, de aprofundar o combate à criminalização e ao legalismo, por meio de ação direta de massas classista e combativa; 2) as tarefas reivindicativas, de combater todas as reformas (da previdência, do código florestal, que irão eliminar direitos dos trabalhadores do campo e da cidade, para dar mais espaço ao capital).”

Portanto, cabe aos militantes sinceros e combativos o objetivo de enfrentar a tutelar militar, denunciando atuação policialesca dos setores paragovernista e governista. E ainda permanece o desafio histórico de lutar por terra, trabalho e liberdade.

Greve Geral contra o Estado e o Capital!

Greve Geral contra o Estado e o Capital!

Sítio: http://www.uniaoanarquista.wordpress.com | Email: unipa_net@yahoo.com.br

————————————————————

Leia este Comunicado em PDF. CLIQUE AQUI.

Anúncios
Galeria | Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s