QUEM TEM MEDO DA “DIREITA”? GOVERNISMO, PLEBISCITO POPULAR, ESTADO POLICIAL E LEI ANTI-TERROR

Dilma e Kátia

Dilma e Kátia Abreu: governo Lula e Dilma levaram a cabo uma política neoliberal e pró-agronegócio, contra os trabalhadores urbanos e rurais.

No decorrer da luta de classes, as falsas polarizações voltam a surgir. No Levante de Junho de 2013, o bloco governista propagou de forma mentirosa que esse levante popular era conduzido por um setor de direita e que inclusive preparava um golpe militar no Brasil (sic). E agora, da mesma forma, tentam assegurar que a bandeira já entoada nas ruas do “Se não tem direitos, não vai ter Copa” é de direita. De uma suposta direita que tenta arrancar os supostos direitos conquistados nos governo Lula-Dilma.

Nada poderia ser mais falso! A burguesia nacional e internacional nunca lucrou tanto. A burguesia rural superou recordes de exportação de suas monoculturas e comprou a briga pela aprovação da “PEC do Trabalho Escravo” e do Código Mineral. A burguesia financeira fundiu dezenas de bancos pequenos em um período de 10 anos e comemora as maiores taxas de juros do mundo que permite o lobby de financistas internacionais. O setor produtivo foi o que mais cresceu, basta ver o desempenho da Odebrecht, que a partir dos contratos com o Governo, via PAC, se expandiu para mais de 40 países, a concessão da rede Globo de rádio e televisão é renovada em 2008 durante o governo Lula/PT que se alia aos megaempresários da comunicação. Por isso não é estranho que CUTistas e CTBistas estejam com o discurso tão alinhado com as empresas de Roberto Marinho quando atacam os manifestantes pós Junho.

A burguesia nunca esteve melhor. E ninguém poderia lhe dar melhores condições do que o bloco PT/PCdoB. É preciso ficar claro que: 1) Apesar de crescer em setores médios semi-intelectualizados um sentimento conservador, este setor não possui bloco organizado. Logo, não tem poder de intervenção organizativa; 2) Quem está conduzindo a política ultra-militarista no Brasil é o bloco governista. Quem está aprovando a lei anti-terrorismo e a intervenção das forças armadas em manifestações é Dilma/PT e seu bloco governista. A burguesia não precisa de “direita”, ela já tem PT/PCdoB.

O distracionismo: plebiscito popular e “copa com luta”?

Com o objetivo de neutralizar ou distrair as bandeiras populares que ecoam nas ruas desde o ano passado (“Se não tem direitos, não vai ter copa”), o bloco governista e o bloco para-governista vem tentando impedir a rebelião popular da juventude e canalizá-la para seus projetos eleitoreiros.

A proposta do Plebiscito Popular, convocado pelo bloco governista com apoio do MST, defende que todas as reivindicações do ano passado podem ser resumidas pela defesa de uma Reforma Política (sic). Esse plebiscito “popular” defende como ponto central cotas para mulheres no Legislativo. Não poderia ser mais limitado e distracionista.

Não muito diferente, o PSTU fala em “Copa com luta”, numa clara política de adequação eleitoral ao próximo período. A tática é clara: Demonstrar fazem uma crítica consequente ao governo Dilma, mas que é contra a ação direta das massas. Para esse partido sindicaleiro e oficialista o que lhe importa é passar a imagem de “esquerda consequente” para setores médios da sociedade, afim de angariar mais votos e mais dinheiro para seu fundo partidário.

NVTC

Pichação nos muros da cidade do Rio de Janeiro expressam a luta combativa do povo: “Não vai ter Copa! Só Revolta!”

A bandeira “Não vai ter Copa” não é uma palavra de ordem de direita, como querem fazer crer os governistas. E nem ingênua, como dizem os para-governistas. A bandeira do “Não vai ter Copa” expressa uma contradição central na atual conjuntura. Na qual o povo afirma sua força coletiva nas ruas e se contrapõe aos interesses da burguesia central e periférica. O povo reafirma a luta pelo Passe Livre e por maiores investimentos em Saúde e Educação. Nessa trincheira não se há meio termo, ou se está com o povo ou contra eles.

ELEIÇÃO É FARSA, NÃO MUDA NADA NÃO, O POVO ORGANIZADO VAI FAZER REBELIÃO!

IR AO COMBATE SEM TEMER, OUSAR LUTAR OUSAR VENCER!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para QUEM TEM MEDO DA “DIREITA”? GOVERNISMO, PLEBISCITO POPULAR, ESTADO POLICIAL E LEI ANTI-TERROR

  1. Tulio disse:

    Se não houve rebelião, não haverá sobrevivência! – José Oiticica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s