Cultura popular contra a farsa eleitoral (4)

Apresentamos mais duas expressões culturais de crítica às eleições. A primeira é a música do cantor anarquista Chicho Sánchez Ferlosio intitulada “Malditas elecciones” onde apresenta sua crítica aos partidos que se domesticaram e traíram a causa dos trabalhadores. A segunda é uma charge  que expressa o controle da burguesia sobre os principais candidatos nessas eleições, seus interesses não estão ameaçados.

Durante o período eleitoral nós vemos os partidos de todas cores se “curvando” ao povo, para lhe pedir votos. Alguns poucos partidos autointitulados socialistas ou comunistas aparecem nas redes de televisão propagando mudanças “radicais” para o Brasil, caem no riso fácil do povo, que entende por uma dura experiência que tais propostas são inatingíveis pelos meios parlamentares. Por outro lado, os maiores partidos da esquerda reformista (PSOL e PSTU) já se incorporaram à democracia burguesa e se colocam frente ao neoliberalismo como defensores do fortalecimento do Estado, por reformas políticas, etc. ou seja, não defendem um programa que atinja a raiz de classe do sofrimento e exploração do povo, e é incapaz de indicar as tarefas a serem desenvolvidas para as mudanças. Entre seu ímpeto de cativar o senso comum da burguesia e pequena-burguesia e se colocar como “representante” do interesses populares, se apresentam no período eleitoral como “bobos corte”, a cereja do bolo deste circo montado e chamado de eleições.

A grande política estatal continua sendo decidida pelos grandes capitalistas e burocratas brasileiros e internacionais. A grande política do proletariado continuará a ser fruto das lutas e enfrentamentos de baixo para cima, dos locais de trabalho, estudo e moradia, e da ação direta do povo. Essa “esquerda” dos espaços de gabinete, das negociatas políticas, beneficiadas pelas empresas capitalistas (tal como PSOL) deve ser combatida na teoria e na prática. A campanha “não vote, lute”, portanto, é essencial para combater os grandes partidos da burguesia mas também para desmascarar o oportunismo dos que ainda dirigem os sindicatos e movimentos da classe trabalhadora.

MÚSICA: MALDITAS ELECCIONES

AUTOR: CHICHO S. FERLOSIO

*

CHARGE:

eleicoes-critica

NÃO VOTE, LUTE!!

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s